Aparecida recebe mais de 300 bispos para reunião da CNBB


Santuário Nacional sedia a partir de hoje a 49ª Assembléia Geral, que trará à mesa de debates, além de temas eclesiais, assuntos como reforma política e combate à corrupção no país; encontro vai até dia 13
A política será tema presente nas discussões dos bispos na 49ª Assembleia Geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), órgão máximo da Igreja Católica no país, que começa hoje em Aparecida e termina no dia 13.


Realizado desde 1952, ano de criação da entidade, o encontro serve para definir as bases gerais da Igreja Católica no país para os próximos anos.

Neste ano, Aparecida receberá 455 pessoas, sendo 336 bispos e 119 assessores, peritos e convidados. 

A cidade foi escolhida em razão da estrutura construída no Santuário Nacional, que conclui a obra do novo Centro de Eventos e mantém a construção da ‘Cidade dos Romeiros’. A partir de 2011, a Assembléia Geral da CNBB deixa Itaici (SP) e vem para Aparecida.

Temas. 
Além dos temas pastorais e eclesiais, os bispos costumam se debruçar sobre assuntos relevantes para a população, debatidos por meio de análise da conjuntura social.Neste ano, a reforma polícia será um dos pilares do debate, incluindo a discussão de instrumentos democráticos de combate à corrupção na polícia, como a lei da ‘Ficha Limpa’.

Os trabalhos começam hoje, às 7h30, com uma missa no Santuário, aberta ao público e transmitida por emissoras católicas de rádio e TV. Seguem ao longo do dia em reuniões fechadas ao público e à imprensa. Os bispos se pronunciarão uma vez ao dia, menos nos finais de semana. A programação prevê missas, orações coletivas e uma sessão cultural.

Reforma.
 É grande a expectativa de entidades que militam pela reforma política no Brasil com a assembleia em Aparecida, como ocorreu em outras duas vezes, 1954 e 1967.

Lucídio Bicalho, assessor Político do Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos), considera a participação da CNBB nas campanhas por ética e pelo fim da corrupção na política “fundamental e central para a estratégia dos movimentos sociais”.

Segundo ele, os bispos têm legitimidade junto à sociedade e conseguem esclarecer problemas causados por políticos corruptos. “Esperamos posição firme da CNBB em defesa da reforma política no Brasil.” 

Em nota, o arcebispo de Mariana (MG), dom Geraldo Lyrio Rocha, presidente da CNBB, disse que as “análises de conjuntura social e eclesial despertam a atenção por sua profundidade e qualidade”. Segundo o religioso, essas discussões “ajudam a trazer à baila as luzes e sombras que marcam a vida da Igreja e da sociedade e que exigem respostas eficazes também da evangelização”.

Também por meio de nota, o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, bispo auxiliar do Rio de Janeiro, ressaltou a realização do encontro em Aparecida. 
“Nossa expectativa é que a assembleia seja um momento rico de discernimento. O lugar para isso não poderia ser mais adequado: aos pés de Nossa Senhora.”

Papa. 
Os bispos debaterão ainda o documento ‘Verbum Domini’, exortação apostólica do papa Bento 16, de setembro de 2010, sobre a palavra de Deus na vida da Igreja.

PROGRAMAÇÃO
49ª assembleia geral
Começa hoje em Aparecida com uma missa no Santuário Nacional, às 7h30, e termina dia 13 de maio

Temas
Neste ano, o encontro terá dois temas: as eleições da CNBB e as diretrizes gerais da ação evangelizadora da Igreja Católica no Brasil

Atividades
Nos dias de semana, a assembleia terá missa às 7h30 (transmitida por rádio e TV), sessões de trabalho pela manhã e à tarde, oração às 17h40 e encerramento das atividades às 19h30. No período noturno, alguns bispos reúnem-se no seminário Bom Jesus

Retiro

Os bispos entram em retiro espiritual no sábado, dia 7, às 15h30, e encerram no domingo, com missa no Santuário Nacional, às 12h. O orientador do retiro será o cardeal canadense Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos do Vaticano

Cultura
Os bispos participam de sessão cultural no dia 9, às 20h, no subsolo da Basílica

Fonte : www.ovale.com.br