Por mais que eu não veja . . .


Acordei sem querer abrir os olhos e encarar que é preciso levantar…Faça deste video e desta música seu momento de retorno!
As perguntas bateram em minha porta e escondi as respostas que deveria dar.
O sofrimento veio tão forte que a ausência de palavras tomou conta de mim e geraram um grito silencioso…Senti-me sozinho pensando que Deus estava a me condenar…
Nesta hora com olhos fechados, respostas escondidas, gritos silenciosos e solidão aparente… Descobri:
“Não sou empregado de Deus!Ele é meu Pai!
Pai que me acorda cedo abre as janelas da minha vida é luz que entra e clareia minhas trevas.
Pai que corre atrás de mim brincando de esconde-esconde perguntando com um rosto em riso: “Cadê as respostas do Papai?”
Pai que não precisa do meu falar, pois sente minha dor e transforma meu sofrimento em oração!
Pai que sempre me espera na varanda de casa, sentado na cadeira de balanço vendo-me voltar cansado da dureza da vida, machucado pelas escolhas que fiz e mesmo assim me pega no colo e diz:
Que bom que voltou eu já te esperava retornar!
Diante das perguntas que faço Deus se responde:
Eu Sou!
“Por mais que eu não veja,
Por mais que eu não saiba me entregar,
Tudo que eu vejo me faz acreditar
Que há um brilho dos seus olhos
Que faz a chuva terminar.” (Como te vejo – Rosa de Saron)
A partir de minha descoberta te digo:
A chuva vai passar, e o sol voltará a brilhar! Pois Ele (Deus) não é seu Carrasco… Ele é seu Pai!
Não tenha medo de voltar… Ele está a te esperar!
E aí está disposto a ser filho do Pai?