É hora de definir as suas metas para 2012

Não há caminho que não chegue a lugar nenhum…

Fim de ano chegando e as perguntas mais comuns nessa época são: O que você vai fazer em 2012? Quais são as suas metas para o ano que vem? Muitas vezes deixamos para pensar nisso no dia 31 de dezembro, véspera de ano novo, ou quando janeiro já esta a pleno vapor e ai seus tempo para pensar e se planejar já se foi. O mundo não nos deu asas, mas a nossa mente nos dá a capacidade de voar.
Criar metas para a vida significa mudar e realizar transformações positivas. Criar objetivos significa ousar, investir em si mesmo e em sua vida. Para isso é necessário abrir espaço para novas atividades e comportamentos e permitir também que alguns hábitos antigos saiam da sua vida. Einstein já dizia: “A definição de insanidade é continuar fazendo as mesmas coisas esperando resultados diferentes”.
A expressão zona de conforto traz dentro de si uma ambiguidade. Às vezes, essa área pode ser extremamente desconfortável, mas você já esta tão acostumado a ela e pode acreditar que isso define sua vida, define como você é e quais resultados ira obter. Nossa vida só pode ser mudada por nos mesmos.
Sair dessa inercia será o primeiro desafio para 2012. Mudar significa sair do que é conhecido, das respostas automáticas, das ideias que já “rodam” no dia a dia na sua cabeça. Mudar significa pensar de modo diferente, prestar atenção em coisas novas e lidar com a incerteza. Espere o inesperado ou você não o encontrará!
As metas são a bússola que dá sentido aos valores e permite atingir a visão, mas lembre-se, elas precisam ser formuladas de uma forma que permitam transformar seus sonhos em realidade e precisam atender alguns requisitos como ser: especificas, mensuráveis, atingíveis, realistas, relevantes, com um tempo determinado e principalmente que não dependam de outras pessoas.
E aqui vai uma Dicaduka: seja focado nas suas metas e permita-se recomeçar quando for necessário. Não seja rigoroso com você, seja sim disciplinado. E segue um pensamento do grande poeta português Fernando Pessoa para encorajar essa sua travessia em 2012: “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos“.
Mochila nas costas e até a próxima trilha!