A vida não foi feita para que tivéssemos certezas absolutas

Ele deixou o sacerdócio aos 37 anos e resolver contar como é mudar de vida


Divulgação
Após dedicar 23 anos de sua vida à Igreja Católica, 13 estudando e 10 como padre, mesmo com grande projeção em programas de rádio e televisão e CDs religiosos, Dalcides Biscalquin sentia a necessidade de recomeçar, queria casar e ter filhos. “Foi um processo de muita crise. Mas a gente cresce e amadurece nessas ocasiões”, afirma.

Foi o momento mais difícil de sua vida, escolher entre o sacerdócio e viver um grande amor. Dalcides nasceu em Piracicaba, cidade no interior de São Pulo, onde a vida girava em torno da paróquia e das questões religiosas. Desde criança, olhava para os padres e tinha neles os seus modelos. “Percebi neles muita felicidade e como eram de bem com a vida. Então pensava: quero ser como eles”, diz.

Aos 15 anos Dalcides deixou a casa dos pais e ingressou no seminário. Segundo ele, os primeiros anos foram os mais difíceis. “Quando a gente entra para o seminário perde o senso de individualidade, a gente passa a viver em comunidade e a assumir os valores de uma vida comum.”

Depois de 13 anos de estudos, Dalcides foi ordenado em 1995 e logo depois enviado para Roma, onde estudo Comunicação Social (Rádio e Televisão) e viveu os três primeiros anos de seu sacerdócio. Viveu numa universidade com pessoas de oitenta países diferentes e aprendeu a respeitar as diferenças. “Voltei para o Brasil em 1998 e comecei a trabalhar como padre e com comunicação social.” A vida de padre era muito intensa. Foram vinte e três anos dentro da estrutura eclesial da católica vividos com muita dedicação. “tive programas de rádio e televisão, lancei quatro CDs de músicas religiosas, percorri o Brasil com palestras e cursos para grupos religiosos. E tudo valeu muito à pena.”

Mas aos 37 anos, Dalcides teve o momento mais difícil de sua vida: decidiu deixar o sacerdócio. Sua preocupação era de como recomeçar a vida após tantos anos dedicados à Igreja. “Eu entrei numa crise. Durante muitos anos não quis admitir que, para mim, era fundamental ter uma família, uma esposa, ver um filho crescendo ao meu lado. Enfim, ter aquilo que é básico na vida humana”, conclui.

E foi a partir de setembro de 2004, quando foi morar sozinho, que sua vida mudou toralmente. Entre choro, medo, perguntas, malas, cartas, cadeiras e lembranças, ele, sozinho, fez a oração mais difícil de sua vida: “Deus me dê uma nova chance”. Naquela noite, de acordo com Dalcides, ele não ouviu nada de Deus. Aos poucos, as oportunidades foram surgindo.

Sua vida profissional foi sendo reconstruída, precisava de muita coragem para recomeçar com quase 40 anos. “Hoje, quando olho para o passado eu digo: valeu a pena. Tudo vale a pena. A dor é uma grande escola”, afirma.

Todos perguntam para Dalcides se sua mudança foi por causa da sua atual esposa, a jornalista e apresentadora Mariana Godoy, sua resposta corajosa demonstra o quando é importante pensar bem antes de tomarmos qualquer decisão. “A causa da minha mudança foi o meu desejo de ter uma família. Eu não suportava mais repousar apenas nos braços do sagrado. Queria viver um grande amor.”

Dalcides conheceu aquela que seria sua esposa num dos programas de televisão que participou ainda como padre. Tornaram-se grandes amigos. Até o dia em que, numa séria conversa, chegaram a conclusão de que estavam apaixonados. Por algum tempo tentou evitar que se aproximassem, mas depois isso se tornou inviável, a hipótese de fazer novas escolhas foi levantada. “Tinha a consciência do que novas escolhas trariam novas perdas e ao mesmo tempo ganhos.”

E foi dessa forma que o padre Dalcides deu um novo rumo à sua vida e voltou a ser apenas o Dalcides Biscalquin, homem buscando realizar os seus novos sonhos e objetivos, cheios de crises e dúvidas, mas com a certeza de que alcançaria aquilo que todos os seres humanos buscam: a felicidade.

Sete anos após a decisão que mudou completamente a sua vida, Dalcides alcançou parte dos objetivos que almejou ao deixar o sacerdócio. Hoje ele está casado, tem um filho, é professor universitário na PUC de São Paulo e na universidade São Judas. No ano passado, o ‘novo’ Dalcides lançou o livro ‘A vida é feita de escolhas’ que já vendeu mais de 40 mil exemplares. De acordo com ele, o livro trata de um período de colheita. É fruto de uma descoberta: a vida só vale a pena se for vivida de verdade. “Às vezes, para ser fiel a si mesmo e a Deus é preciso mudar”, conclui.

No livro o professor Dalcides fala sobre a sua vida, mas o foco é outro. Segundo o autor, a atenção se volta às mudanças que podem nos levar a viver a vida de forma mais intensa, com sentido, com alegria e prazer. O livro aborda diversos temas que afligem a vida da maioria das pessoas nos dias de hoje, as mudanças na vida podem acontecer através da dor, por exemplo, pois ‘a dor pode motivar transformações’.

Toda essa história de vida, de dúvidas, de dores, de tristezas, de choro e de alegria, dá a cada um de nós a certeza de que só seremos realmente felizes, quando entendermos que a felicidade só depende de nós mesmos, de cada escolha, pois ‘A vida é feita de escolhas’.

Atualmente, além de atuar como professor, palestrante e coaching, Dalcides Biscalquin apresenta o programa ‘Escolhas da Vida’ que vai ao ar diariamente, às 11h30, na Rede Vida de Televisão.

Fonte : http://elizaniosilva.blogspot.com/