Falando em público, evoluindo em minha carreira

Sobre esta “Arte”, encontramos várias definições:

  • Técnicas para Falar em público
  • Treinamentos de PNL
  • Super Apresentações
Entre outras, estão todas transmitindo o sentido estudado pela Retórica. Onde nasceu a Retórica?
A Retórica surgiu na antiga Grécia, ligada à Democracia e em particular à necessidade de   preparar os cidadãos para uma intervenção ativa no governo da cidade. “Rector” era a palavra grega que significava “orador”, o político. No início esta não passava de um conjunto de técnicas de bem falar e de persuasão para serem usadas nas discussões públicas. A sua criação é atribuída  a Córax e Tísis (V a.C), tendo sido desenvolvida pelos sofistas que a ensinaram como verdadeiros mestres. Entre estes destacam-se Górgias e Protágoras.
Atualmente esse tema tem sido levado mais a sério, muitos vêem como uma oportunidade única, esse momento onde se está a à frente e com a palavra. As realidades são muitas, seja na escola ou faculdade para apresentar um trabalho na frente de todos, ou ainda na empresa, reuniões internas, treinamentos, e principalmente, para vender uma idéia!   A verdade é que ninguém é um expert no assunto, sem antes estudar, ler, ensaiar, ensaiar, ensaiar… É preciso peito aberto, coragem, simplicidade, comece dominando o assunto em questão e depois: Inove, crie, seja ousado. Pense como um ator de teatro, decorar o texto é um mero detalhe, é preciso talento, dedicação, verdade, presença de palco, tom adequado de voz, gestos coordenados com a fala. Depois que você conhece a fundo o assunto do qual vai falar, se pergunte:  – Qual é o meu público? Pra quem vou discursar?
  • Adapte-se ao seu público: suas palavras precisam ser claras, seus gestos precisam acompanhar sua fala, as pessoas precisam entender o que você está falando, se o seu público é jovem, fale como jovem (descolado, cabem algumas gírias), se o público é de executivos, fale com palavras mais cultas e tenha bastante cautela.
E o Power Point? Onde ele entra em tudo isso?
O Power Point é a parte final, porque como toda boa história, tudo começa no papel.   Crie uma história para contar sobre seu produto, seu treinamento, insira o conteúdo, seja ele qual for, dentro de um contexto histórico. As pessoas assimilam melhor com as histórias, torne essa história interessante, com vilão e super herói.   Você pode estar se perguntando! Preciso de uma referência, para visualizar tudo isso. A referência chama-se Steve Jobs, acesse o Youtube, e veja  vários vídeos onde ele aplica muitas técnicas das quais estamos citando aqui. Algumas dicas do próprio Steve:
  • Para uma apresentação com duração de 1 hora, Steve Jobs ensaiava por 9 horas, ele participava de toda a construção da apresentação, desde o rabisco no papel, até a criação dos slides.
  • Steve apoiava-se nas técnicas de Aristóteles:
Esquema de Aristóteles para argumentos persuasivos
  • Apresente uma história ou relato que desperte o interesse da platéia.
  • Proponha um problema que tenha de ser solucionado/ pergunta/resposta.
  • Sugira uma solução para o problema proposto.
  • Descreva os benefícios específicos.
  • Incite a platéia a agir.
E o Power Point?
Ele é a fase final, depois de rabiscar o papel, criar um roteiro (como uma peça teatral), inserir o contexto dentro de uma história, pensar em tudo o que você vai dizer, e como vai dizer, qual postura vai adotar, para qual público está falando entre outras coisas mais, abra seu Lap Top, em seguida o Power Point, e ai sim comece a desenvolver os Slides. Tem um problema, você não domina como deveria o Power Point, e também não é designer. Eu pensei em tudo isso, se assim como eu você não domina completamente o software, procure uma empresa especializada no assunto, porém crie você mesmo a história, lembre-se que você é o ator principal, o protagonista, não deixe o software tomar seu espaço, ele deve ser apenas o reflexo de sua fala, um apoio. As atenções devem estar voltadas à você, aliás o show é seu e não do Power Point.
Em seguida, vejam um vídeo onde observamos Steve Jobs surpreendendo sua platéia com uma ilustre participação mais que especial para fechar uma de suas palestras.
Fica a dica:
Surpreenda seu público!



Fonte : http://www.anossageracaoy.com.br