Aos meus amigos - Por Elizânio Silva

Tenho pensado muito na vida ultimamente. Simplesmente tenho pensado. Existem momentos que somos convidados por nós mesmos a rever certas questões.
Como estou? O que tenho feito? O que quero para minha vida? Quais são os meus desafios? Quais são meus desejos e vontades? Enfim, às vezes precisamos fazer um pente fino na nossa vida.
Não dá para rever tudo sem pensar nos meus amigos. Sim, essas pessoas escolhidas por Deus para entrarem nas nossas vidas. Seres que fazem a diferença, capazes de transformar o ambiente por onde passam. E são diversos os momentos em que os amigos participam da vida da gente.
Estamos vivendo dias muito corridos, cheios de atividades diárias diversas, compromissos mil, horas perdidas no trânsito e o estresse gerado por tudo isso, acaba nos afastando dos amigos. É claro que as amizades verdadeiras resistem a quaisquer dificuldades, acredito que sobreviva até a morte e sabe o motivo? Simples, toda amizade verdadeira é comporta de um sentimento que muitas vezes resiste até a morte, o amor. Tudo que é feito e repleto deste sentimento sobrevive eternamente.
Já diria o grande Vinícius de Moraes: “Eu poderia, embora não sem dor, perder todos os meus amores, mas morreria se perdesse todos os meus amigos”. E que verdade suprema existe nesta frase. Ela revela que os muitos amores vividos nem sempre são verdadeiros como as amizades, não tem a mesma intensidade, logo não são reais.
Para alguns amores vêm e vão, hoje se tornou muito comum. As amizades não, quando são reais surpreendem. Não é necessário estar diariamente com os amigos, o importante é saber que eles existem e estarão apostos quando precisarmos.
Mas a falta dos amigos às vezes nos balança, pois a carência do ser humano é imensa. Não dá para viver sem a presença dessas pessoas. Pessoas que chegam, tomam conta de você e passam a fazer parte da nossa vida. E de verdade, não temos estrutura para viver sem os amigos. Disse o poeta: “Se um deles morrer, ficarei torto para o lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece, é em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo”.
E aí podem perguntar: por que tudo isso agora? Simples, para dizer aos meus amigos o quanto são importantes na minha vida. Sinto falta da companhia, das histórias, dos sorrisos, das lágrimas, das crises existenciais, das conversas sérias, dos momentos de descontração, da presença física de cada um deles, dos desvaneios e viagens, enfim, sinto falta dos meus amigos.
E se um dia você sentir vontade de chorar, me chame, não prometo te consolar, mas prometo chorar com você; se um dia você não quiser conversar, me chame, pois prometo ficar quietinho ao seu lado te fazendo companhia; mas se um dia você me chamar e eu não te responder, vem depressa, pois estarei precisando de você.
Não sabemos o tamanho do livro da nossa vida, por isso precisamos viver intensamente os momentos ao lado das pessoas que amamos. O que levamos da vida são os bons momentos que vivemos.