Como você enxerga sua vida?

Gostaria de convidá-los, hoje, a uma pequena reflexão. E, desde já, lançar uma pergunta: “Como você enxerga a vida hoje?”

E, diante de um monte de feno, diriam as vacas:
- Um monte de feno pela manhã é o mesmo monte de feno ao entardecer. A minha fome o comprova.
Enquanto Monet, célebre pintor, completaria:
- Para as vacas, é certo que o feno é o mesmo, porque elas desconhecem o gosto da luz. Mas eu sou pintor. Meus olhos comem luz. A luz é coisa mágica, que vai transformando as coisas, pelo poder de suas modulações. Um monte de feno sob a luz da manhã não é o mesmo sob a luz do crepúsculo.
(Adaptado de Variações sobre o prazer, de Rubem Alves)
E você, hoje, enxerga a vida como este monte de feno, que não tem mais nada a oferecer, assim como as vacas? Ou a luz da vida brilha diante de seus olhos e cada dia é único e mágico?
Se fizer sentido, comece, assim como Monet, a enxergar esta luz que envolve o mundo ao nosso redor e faz com que o igual se torne diferente. Onde o velho se faz novo. Onde o que acreditamos saber se torna uma nova aventura de descobertas, dia após dia!